terça-feira, maio 10, 2016

de de

Série | Orphan Black

Sempre que faço um post sobre séries, peço indicações. Acho que Orphan Black foi a série que mais me indicaram no ano passado, e resolvi conferir. Pode ler tranquilamente, pois não tem spoiler.
Antes de assistir, eu não sabia nada sobre a série. Acho que se soubesse que era de ficção científica, não teria nem assistido ao piloto. Acontece que a ideia da série e os atores são fantásticos!
Sinopse:
"Após presenciar o suicídio de uma desconhecida muito parecida consigo, a protagonista Sarah decide assumir a identidade da morta, sem saber que, na verdade, está entrando num verdadeiro jogo de vida ou morte. Conforme Sarah vai se adaptando à vida sob um novo nome, vai descobrindo uma complicada conspiração.
Agora, ela precisa proteger-se, enquanto tenta descobrir mais pistas sobre uma trama que coloca sua vida em risco."
Ela é uma série canadense de ficção científica,sobre clonagem humana, protagonizada por Tatiana Maslany. Estreou em 2013, recebeu muitas críticas positivas e também indicações para alguns prêmios, recebendo as estatuetas do Critics' Choice Television Awads e Canadian Screen Awards. A série já está em sua quarta temporada.
A medida que você vai assistindo, entendendo o que está acontecendo e mais e mais clones aparecem, você fica impressionado com o desempenho da Tatiana Maslani. Ela interpreta mais de 10 clones, um totalmente diferente do outro, é uma atriz fantástica, e merece um prêmio por essa série!
São mais de 10 clones criados pelo Projeto Leda, todos nascidos em 1984 em diferentes países.
Das 4 clones principais, que são: Sarah, que é a protagonista e tem uma filha (Kira) que ela tenta proteger a maior parte do tempo, Helena, que é irmã gêmea de Sarah e é uma fanática religiosa, Alison, que é uma mãe de família do subúrbio e Cosima, uma lésbica estudante universitária de biologia evolutiva do desenvolvimento.
O bacana é que os atores escolhidos não são conhecidos, mas são super talentosos, e você fica encantada com a afinidade do elenco. Além de bastante ação, algumas cenas fortes, há a parte cômica, que aparece sempre que uma clone se mete em alguma confusão e outra clone precisa se passar por ela.
A nova temporada já começou, e já está no 4º episódio. Ainda não assisti, gosto de ver tudo de uma vez só!
Achei uma série bem diferente do habitual, com um tema interessante e atual. Vale a pena dar uma chance para Orphan Black.
E você, já conhecia essa série? Está na sua lista de 'quero ver'? Tem alguma série para me indicar?

quarta-feira, maio 04, 2016

de de

Sobre ser mãe e ser filha

Sobre ser mãe

Até saber da gravidez da Livia, eu não me imaginava mãe. Não tinha o menor jeito com criança, e bateu um desespero, confesso. Mas quando nasce uma criança, nasce também uma mãe.
Hoje eu entendo que ser mãe é a maior responsabilidade do mundo! Educar uma criança, ensinar a ela o que é certo e o que é errado não é tarefa simples.
Todos os dias, agradeço à Deus por ter me dado o privilégio de ser mãe. E me dado uma filha tão maravilhosa como a Livia. Aprendo todos os dias com ela, e o amor é tão grande que dói e é impossível de transmitir com palavras. Se eu pudesse, ficava o dia inteiro escrevendo sobre o meu amor por ela.
E agora, Deus me deu mais um presente. Estou me preparando para ser mãe pela segunda vez. Estou grávida de 14 semanas, e o bebê está previsto para fim de outubro. E vem de novo aquele monte de sensações, pensamentos e planejamentos. Muitas mudanças estão preparadas para nós, desde mudança de cidade (de novo, inclusive esse é um dos motivos pelo qual o blog está bem parado), até a mudança na família, pois Livia deixará de ser filha única!

Sobre ser filha

Hoje, sendo mãe, entendo a minha mãe. Entendo o porquê eu a achava tão durona, tão chata e que não me deixava fazer nada. E entendo mais ainda o que é ser filha.
O meu respeito e admiração por ela aumentaram. Ela foi mãe de 3 mulheres. Trabalhou, me ensinou muito e lutou por mim, enquanto eu lutava contra ela. Eu a vi sendo a pessoa mais forte do mundo num momento em que qualquer pessoa desabaria.
Infelizmente ela mora a muitos quilômetros de mim, mas a tenho todos os dias próxima, no meu coração e no meu watts. Bendita tecnologia, né?
Por mais que a gente fale, nada nunca será o suficiente para agradecer o que nossas mães fizeram por nós. Obrigada, mãe. Te amo!